http://04021c3560d0c90306.comunidade.uolk.uol.com.br/2008_10/topic2008_10-08_15_43_37-3929349.html Blog de Gisele Azevedo - UOL Blog



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, SOROCABA, Mulher, de 46 a 55 anos, Portuguese, English, Arte e cultura, Música, Cinema, gastronomia, livros, namorar



Histórico


    Votação
     Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
     Canto das perdas
     Assim como você
     Blog do Falcão
     Tocando a vida sobre rodas
     Blog do Ricardo Soares - Todo prosa
     Compulsão por palavras
     A balzaca, a pirada e a pastelinha
     Cantinho do Landinho
     Tô sorto!
     Bloganvile


     
    Blog de Gisele Azevedo


    Prá tirar o pé da lama

    Em tempos de manuais de auto-ajuda e quetais, ofereço aqui a minha singela contribuição, com base no forfé que me arrebatou nos últimos 60 dias:

    - tenha muitos amigos, de vários tipos, sempre. Na hora da merda, os bons vão estar ali, prontos pro seu telefonema desesperado.

    - família articulada é fundamental. Num precisa ficar babando ovo na gente, mas que possam entender que você só quer ficar trancadinha no quarto vendo filme triste e que, não, você não irá entrar em depressão novamente.

    - uns dias pior, noutros melhor. Nesses, dê o maior up no trabalho. Vão surgir idéias e projetos que podem te ajudar a motivar-se novamente.

    - se ainda num está, entre numa rede social nova. Eu optei pelo Face e, de quebra, tô montando uma Farm que tá uma lindeza. Ajuda demais nas madrugadas insones.

    - mantenha as unhas sempre em dia, mergulhe no mundo colorido dos esmaltes. Ou vá de maquiagem. Ou acessórios, sapatos, roupinhas. Mas tome cuidado com os gastos exagerados.

    - depilação, corte e tintura do cabelo, sempre em dia. Despencar na frente do espelho é a coisa mais fácil, quando a gente tá vulnerável assim.

    - um vinho com uma amiga, um almoço com outra, um jantar na casa daqueles que você não vê há algum tempo. Tudo isso ajuda a desfocar, prá não sucumbir. Ainda assim, você pode continuar chorando e se achando uma bosta seca, nos intervalos, tá?

    - tente não fazer contato com o cidadão em questão. Por mais que você morra de curiosidade de saber como ele está, distraia-se com outra coisa, quando a fissura aparecer. Num valeu muito para mim, andei sucumbindo umas três ou quatro vezes. Mas já passou.

    - um blog do tipo “Vigilantes da auto-estima” ou similar pode ajudar demais, em momentos inesperados. Eu recomendo.

    - filmes de diferentes estilos, um novo livro (li uns quatro), chocolates quando o suicídio parece próximo. Dicas importantíssimas. A dieta virá quando você sair da lama, agora num dá prá encarar essa, né?

    - bem difícil essa, mas se você conseguir, será a redenção: seja membro de uma confraria gastronômica há seis anos e meio. Com reuniões mensais e contatos virtuais diários, que te farão crer que a vida é uma merda, mas é boa.

    - prá encerrar, embora ainda esteja difícil, dolorido e em carne viva, divido duas frases que li e que me tiraram totalmente da vibe odiosa:

     

    “Não guardo nem dinheiro, vou guardar rancor?” (Caio Fernando Abreu).

     

    ‎Guardar ressentimentos é como tomar veneno e esperar que outra pessoa morra”. (William Shakespeare)

     

    Depois dessa, pé em Deus e fé numa tábua. Bom demais ter um blog prá poder voltar.

     

    ‎"Olha, eu sei que o barco tá furado e sei que você também sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não querer parar de remar também."(Caio Fernando Abreu)



    Escrito por Gisele Queen Kong às 12h13
    [] [envie esta mensagem] []




    [ ver mensagens anteriores ]